Diante do aumento no número de casos de coronavírus no Espírito Santo, o governador do estado, Renato Casagrande, anunciou, durante pronunciamento nesta quarta-feira (18), que novas medidas qualificadas serão divulgadas na próxima sexta-feira (20).

"Novas medidas qualificadas serão anunciadas na sexta-feira. Estamos desenvolvendo, vamos mudar medidas qualificadas, que vão valer a partir de segunda-feira. Haverá menor restrição para ambientes mais controlados, como os comércios, onde o empreendedor, o dono, o gerente, disponibiliza máscara, álcool gel, que controla isso, então ele não terá tantas restrições. Mas tem o ambiente que não tem controle, então todas as atividades tem protocolo e se todos seguissem o protocolo, seria muito mais fácil. Por isso que vamos apresentar novas medidas para enquadramento nas classificações de risco", explicou.

Casagrande também falou sobre a reunião que teve com entidades, para discutir sobre o aumento no número do novo coronavírus no estado.

"Convidei uma reunião para posicionarmos as entidades e as instituições sobre o momento que estamos vivendo com relação à covid-19. Participaram da reunião o presidente do Tribunal de Justiça, o representante da Assembleia Legislativa, o presidente do Tribunal de Contas, a Defensoria Pública e também tivemos a presença de entidades do setor produtivo que acompanham com muita atenção a questão das medidas do governo com relação à covid-19, além da presença da igreja católica, das evangélicas e da Amunes", explicou o governador.

Crescimento do contágio

"Estamos observando um crescimento do contágio, até porque mudamos o protocolo de testagem. Anteriormente nós fazíamos a testagem nas pessoas que tinham algum sintoma, mas que tinha mais de 45 anos. Agora, fazemos em todas as pessoas e pedimos também para que os familiares façam. Aumentamos a testagem, diversos municípios fazem, setor privado faz, então temos um volume de testes muito maior. De qualquer maneira, estamos observando o aumento do contágio, do numero de contagiados ativos. Não é um aumento que possa ser comparado com a fase mais aguda da doença, como maio, junho, julho, mas hoje temos um aumento das pessoas que tem o contágio ativo."

Óbitos

"Nós estabilizamos óbitos, infelizmente paramos de cair óbitos. Não tem crescimento grande, mas qualquer pessoa que perde a vida nos preocupa muito. Como estabilizou o óbito, paramos de cair, é um sinal de alerta para nós. Então posicionamos as entidades com relação a essa realidade que estamos vivendo. É preciso que a gente compreenda que o que estamos vivendo é um momento diferente do auge da pandemia, nós aprendemos, de certa forma, a conviver com a pandemia."

FONTE: Folha Vitória